30 de novembro de 2016

Livro Eu sem você – Kelly Rimmer

Sinopse 
Eu sem você é um livro que nos faz sorrir, chorar e lembrar de ficar bem perto de quem amamos.
Há um ano, conheci o amor da minha vida. Para duas pessoas que não acreditavam em amor à primeira vista, até que Lilah e eu chegamos bem perto de dizer que isso aconteceu conosco.
Eu tinha um bom emprego em uma agência de publicidade e não fazia outra coisa além de trabalhar. Era incapaz de tomar decisões sobre meu futuro e minha casa inacabada e não sabia aproveitar a vida. Até conhecer Lilah.
Lilah MacDonald era uma advogada ambientalista linda e decidida – e, para minha surpresa, detestava usar sapatos. Era uma pessoa tão maravilhosa que é até difícil descrevê-la.
Nosso relacionamento não poderia ser mais improvável, mas me transformou profundamente. Comecei a enxergar as coisas de outra forma e a redescobrir antigas paixões. Lilah me ensinou a viver outra vez e a aproveitar ao máximo tudo o que a vida tem a oferecer.
Ela me proporcionou momentos incríveis, mas também manteve em segredo algo que partiu meu coração. Ainda assim, se há uma coisa que aprendi com Lilah é que o amor pode curar qualquer ferida.
Meu nome é Callum Roberts e esta é a nossa história.

Pela sinopse já conseguimos ter uma ideia de como vai ser Eu sem você, de Kelly Kimmer, que recebemos da editora Arqueiro. Parece toda uma grande tragédia ou uma grande choradeira, mas na verdade o livro conta sobre um relacionamento comum, com insegurança dos dois lados, com a resistência de se entregar dos dois lados...

A narrativa é dividida pelos protagonistas: como se fossem um diário, eles se intercalam, mas não necessariamente no mesmo dia ou em dias seguidos. Há voltas no tempo para entendermos a história. 

Há certos momentos que a história fica um pouco monótona, parece que não avança, fica rodando num vai-não-vai. Mas, no geral, Eu sem você mostra a realidade: as idas e vindas, os percalços do caminho, testa seu amor, seu companheirismo....

Título
Eu sem você
Título original
Me without you
Autora
Kelly Rimmer
Editora
Arqueiro
Páginas
304

Postado por Rafaela


16 de novembro de 2016

Livro Depois daquela montanha – Charles Martin

Sinopse
O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo.
Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida.
Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada.
Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.

Imagine sobreviver a um acidente de avião. Agora imagine ser sobrevivente em montanha coberta de gelo e seriamente ferido. Era assim que estavam Ben e Ashley, dois estranhos que dividiram carona num avião particular pilotado por um homem que sofreu um ataque cardíaco, mas que conseguiu pousar a aeronave em segurança. 

Em Depois daquela montanha, de Charles Martin, que recebemos da editora Arqueiro, Ashley e Ben têm a missão de suas vidas. Precisam sobreviver, precisam se descobrir, precisam se apoiar um no outro para tentar sair da montanha.

O livro é narrado por Ben, um médico ortopedista, que repensa seu relacionamento enquanto ajuda Ashley – seriamente machucada – e tenta desesperadamente tirar os dois da montanha.

Pelos capítulos, além da interação entre os dois, que é o melhor do livro para mim, a parte prática também é bem interessante. A parte prática que eu digo é procurar por comida, escavar no gelo, procurar por ajuda, enfim, as questões de sobrevivência em si. A angústia dos dois em saber se conseguirão sair de lá vivos acompanha o leitor. Principalmente, a angústia de Bem, por ele ser o narrador e por dar a perspectiva mais real.

Os momentos de maior queda no ritmo, para mim, são as lembranças de Bem sobre seu relacionamento, pois cortam um pouco a narrativa, inclusive em nos ápices do capítulo.

Mas, no geral, gostei bastante de Depois daquela montanha, pois penso em o que faria se tivesse no lugar deles, os momentos de desespero, desânimo e também de esperança. Apesar de tudo, é um texto relativamente leve, que aposta num dramalhão e nem numa angústia tão insuportável. Acredito que o autor até poderia pesar mais um pouco a mão na área do suspense, mas acho que o mote do livro não é esse. É mais fazer pensar em suas decisões para se descobrir o que é mais importante em sua vida.

Título
Depois daquela montanha
Título original
The mountain between us
Autor
Charles Martin
Editora
Arqueiro
Páginas
304

O livro está sendo adaptado para o cinema com previsão de lançamento para 2017 com Kate Winslet (de Titanic) e Idris Elba (de Mandela) nos papéis principais.


Postado por Rafaela

17 de outubro de 2016

Lanche Fácil – Massaleve



Quando eu compro esses lanches prontos, principalmente hambúrguer, eu não tenho grandes expectativas. Por mais que a propaganda diga que é fresquinho, que é feito sem fritura etc., é sabido que são necessários processos químicos para conservar etc. e tal. 

Ainda congelado
Então, sabendo disso tudo, encontrei esse Lanche Fácil, da Massaleve. Comprei no sabor Picanha com cheddar.

Na embalagem, diz que é grelhado, “a fogo como churrasco”. O sanduíche é próprio para micro-ondas. É só retirar a da embalagem, colocá-lo na própria bandeja em que vem no aparelho entre 1 minuto e 1 minuto e 20 segundos na potência alta. Coloquei 1’20” e o queijo ficou um pouco gelado. Acho que mais uns 20 segundos ficaria no ponto. Mas, no geral, o pão e o hambúrguer descongelaram e ficaram quentinhos. O queijo derreteu quase nada – uma fatia bem pequena, diga-se.

Dentro de sua bandeja e já pronto.
E o sabor? Bom, nem se compara, obviamente, com um sanduíche preparado na hora, com carne “de verdade”, menos processada. Acho que faltou um pouco de sabor. Nem estou falando de sal, falo de tempero mesmo para dar vitalizada num produto congelado.

Enfim, não é algo que compraria com frequência, seria mais para um momento muito de emergência, por exemplo: um domingo à noite, sem nada para comer, a preguiça consumindo, abrir o freezer e lembrar que tem esse lanche guardado. Seria por aí...

Uma unidade tem 358 kcal e 1130 mg de sódio! Paguei R$ 2,50.

Postado por Rafaela

30 de setembro de 2016

Bis Oreo – Lacta



Toda hora surge alguma novidade que tem o recheado Oreo como combinação. Em alguns, nem dá pra perceber o sabor, em outros aparente mais o recheio... Dessa vez foi a Lacta que juntou o, na minha opinião, seu mais famoso produto com um dos recheados mais badalados.

Para mim, o Bis Oreo foi o que mais se aproximou do real. O chocolate branco da cobertura lembra um pouco o recheio, mas o que traz mesmo a semelhança é o biscoito com sabor idêntico ao do Oreo.

De todas as invenciones que fazem com o Bis e com o Oreo, essa é o que mais gostei, sem dúvida.

A caixa de Bis Oreo vem com 16 unidades (a tradicional vem com 20). Paguei R$ 4.

Postado por Rafaela

28 de setembro de 2016

Quando o amor bater à sua porta – Samanta Holtz

Sinopse
Ele tem um passado do qual não se lembra. Ela precisa esquecer o seu.
Malu Rocha é uma escritora de 29 anos independente, confiante e bem-sucedida. Mora sozinha em São José dos Pinhais, perto de Curitiba, onde mantém uma rotina regrada de pedalar todas as manhãs, escrever e, semanalmente, visitar o avô de 98 anos em uma casa de repouso.
Porém sua vida toda controlada sai do eixo quando um homem bate à sua porta e se apresenta como Luiz Otávio Veronezzi, dizendo ter perdido uma reunião marcada com ela. Malu não se lembra do compromisso e sua primeira reação é dispensá-lo. Mas o belo desconhecido insiste, explicando que sofreu um acidente de carro, ficou em coma e perdeu a memória, assim como seus documentos. As únicas coisas que restaram foram um pouco de dinheiro e um papel com o nome e o endereço de Malu, o nome dele e a data da reunião. Luiz confessa que a escritora era sua última esperança para descobrir a própria identidade.
O problema é que ela não tem a menor ideia de quem ele seja.
Desconfiada, mas sentindo-se responsável pelo acontecido, Malu decide ajudá-lo e embarca em uma jornada para descobrir quem ele é – o que acaba trazendo à tona muitos fatos sobre si mesma, seus medos e segredos mais bem guardados, além de um passado que preferia esquecer.
A bela narrativa e a trama que prende do começo ao fim nos convidam a acompanhar Malu e Luiz nessa busca que se transforma em uma história de amor de tirar o fôlego.

Confesso que nunca fui fã de livros nacionais. Não sei direito a razão. Não acredito ser preconceito, só acho que nunca me interessou. Enfim, quando recebi Quando o amor bater à sua porta – você vai deixa-lo entrar?, de Samanta Holtz, da editora Arqueiro, coloquei na frente de todos para a leitura.

O livro conta a história da metódica e bem-sucedida escritora Malu Rocha e de Luiz Otávio, um desmemoriado que bate em sua porta, pois a única pista que tem de seu passado é uma reunião marcada com a escritora. 

Quem é fã de comédia romântica – principalmente filme –, vai perceber algumas referências, como Um lugar chamado Notting Hill e Queridinhos da América. Não é nada descarado, é mais uma familiaridade. E isso não é demérito, longe disso, é apenas uma observação.

A leitura do livro é bem leve e só fica um pouquinho cansativa quando temos as reflexões de Malu – com mais da metade do livro, ou seja, quase pro fim –, mas nada que te faça desistir de ler.

Uma coisa interessante que eu tenho visto por aí, mas nunca tinha visto num livro que eu tenha lido é a trilha sonora. Antes de começar o texto do livro, há a indicação de música para cada capítulo. Eu não tenho esse hábito de escolher uma música para leitura ou identifico o livro com determinado cantor, então, para mim, o que mais gostei de ter essa trilha foi a oportunidade de conhecer algumas músicas, que, obviamente, vou acabar associando ao Quando o amor bater à sua porta. Mas para quem gosta dessa interação, é uma boa pedida. 

No geral, gostei bastante de Quando o amor bater à sua porta. É uma comédia fofa, romântica e boa para o fã do estilo.

Título
Quando o amor bater à sua porta
Autora
Samanta Holtz
Editora
Arqueiro
Páginas
304

Postado por Rafaela


26 de setembro de 2016

Tablete Love me – Neugebauer

Passeando pelas Lojas Americanas, descobri esse tablete do Love Me da Neugebauer. Fiquei interessada por ser chocolate meio amargo (que eu amo!) com recheio de caramelo e flocos de arroz. 

Definitivamente, os flocos não são a estrela, pois são pouquíssimos. Ajudam a dar uma crocância quase imperceptível, só se você der sorte de morder algum. Mas isso não diminui o chocolate como um todo. 

Eu não achei o chocolate supermeio amargo, mas porque, provavelmente, estou acostumada com chocolate de 70%, 85%. Mas, com certeza, quem não está acostumado vai sentir uma diferença. O bom, para quem não está acostumado, é que a diferença é sutil. 

O recheio de caramelo não faz o estilo puxa-puxa, mas uma pasta que faz lembrar, sim, o gosto de caramelo. 

Resumindo: conheço pouca coisa da Nuegebauer, mas gostei do tablete Love Me. Pode não ser a melhor invenção no mundo do chocolate, mas é ótimo para uma sobremesa ou lanchinho rápido, por exemplo. 

Paguei R$ 2,50 na embalagem de 70 g. 

Postado por Rafaela

31 de agosto de 2016

Tira Manchas – Semorin

Há um tempinho, recebemos da Semorin um Tira Manchas. Esse é voltado para remover manchas de café, vinho, chocolate, batom, cosméticos, catchup, óleo, sangue, tinta esferográfica, mostarda, frutas e sucos.

Mas eu tenho uma blusa com duas manchinhas de ferrugem e tentei aplicar esse Tira Manchas nelas. A Semorin tem um produto específico para ferrugem, mas eu não o recebi, aí tentei com o outro mesmo.

A mancha de ferrugem deu uma clareada, mas não saiu por completo. Em outra blusa, ela saiu totalmente, sem grandes sacrifícios. Como fiz o favor de tirar uma foto péssima do antes – ou seja, quando ainda tinha mancha –, não deu para mostrar o resultado. Fiz o que, então? Sujei minha blusa de propósito!

Mancha de batom seca, mancha de batom molhada com o produto.

O medo tomou conta, mas fui em frente. Peguei um batom vermelho mate (Vermelho vibração, Contém 1g), sujei um pouco a blusa branca, esperei uns minutinhos e apliquei o Tira Manchas Semorin.

O modo de uso é bem simples: aplicar o produtos, esperar uns segundos e passar uma escova de cerdas macias (usei escova de dentes). Enxaguar. Se ainda tiver mancha, repetir o processo. 


Assim que comecei a passar a escovinha, foi ficando tudo rosa com a mancha se espalhando. Percebi que a escova não estava sendo tão eficiente, então esfreguei com a mão sem aplicar muita força. Quando fui enxaguar, notei um rosado muito leve, tendo que prestar muita atenção para perceber. Resolvi repetir o processo: apliquei, esperei e esfreguei. Depois que enxaguei pela segunda vez, passei um sabão (como eles mandam) e pronto. Sem manchas!

Após a primeira aplicação. Após a segunda aplicação.

Ainda não testei em manchas de batom ou vinho que estão na roupa por horas, mas por alguns minutos. Mesmo assim, achei bem eficiente, inclusive conseguindo tirar uma ferrugem mais “leve”, mesmo não sendo específico para esse fim.

Enfim, apesar de precisar testar com uma mancha mais antiga, fiquei bem satisfeita com o Tira Manchas Semorin.

Esse tipo de produto geralmente é vendido em supermercados.

Postado por Rafaela