25 de janeiro de 2012

Filme Amor e Outras Drogas

Amor e Outras Drogas foi um filme bastante divulgado, principalmente por causa de seu casal de protagonistas: Anne Hathaway e Jake Gyllenhall.


Jamie Randall é um iniciante no mundo farmacêutico e começa a trabalhar na Pfizer na época do lançamento do Viagra. Com o cargo de representante laboratório (o da malinha preta no consultório do seu médico), ele, e tantos outros, não mede esforços para bater metas de venda. Galanteador à toda prova, seduz secretárias, “compra” médicos, faz o que for preciso para que seu medicamento se sobressaia ao concorrente. Ou seja, mostra os exageros e a ganância desse ramo, que não se preocupa em superdosar pacientes, dentre outros efeitos. Lembra até um pouco Obrigado por Fumar (filme sobre o lobby das grandes empresas de cigarro em que o lobbysta defende o direito dos fumantes). 

Do outro lado está Maggie Murdock, jovem com mal de Parkinson, quer um relacionamento sexual com Jamie, evitando ao máximo qualquer tipo de sentimento. Claro que isso não ficaria nesse patamar; com o envolvimento, é inevitável que um sentimento maior surja. Daí, já são dois tipos de filmes – “denúncia” sobre as indústrias farmacêuticas e um romance, com um detalhe: riqueza de cenas de nudez e sexo. Não há apenas insinuações como na maioria das comédias românticas; é um pouco mais pesado. 

Quando a doença de Maggie se manifesta com mais agressividade, o filme se torna um drama. Jamie perdido entre largá-la e apoiá-la; Maggie não querendo mais se envolver para não fazer com que Jamie sofra. Até que há uma tentativa desesperada para encontrar uma cura ou um remédio mais eficaz. 

Enfim, o filme vai se perdendo ao longo de sua duração. Não consegue se decidir, é drama, é comédia romântica? Apesar de ser oficialmente comédia romântica, tenho minhas dúvidas quanto a isso. E a questão, para mim, é não definir seu rumo e o fim ser aquele tão previsível e decepcionante. 

Também fiquei pensando: será que a Pfizer investiu nesse filme? As empresas são malvistas de uma forma geral, mas o pano de fundo é a dona da pílula azul e a propaganda desse remédio é imensa!

Será que estava amarga demais quando vi o filme? rs

Testado por Rafaela

8 comentários:

  1. Também não gostei desse filme. O começo estava até bom, mas depois... Sem graça, nem me emocionei. Rolou uma expectativa danada para vê-lo. Estava preparada para chorar horrores (choro à toa), mas... Esperava um drama como "Tudo por Amor", com a Julia Roberts, com esse chorei baldes...

    ResponderExcluir
  2. Eu tb esperava mais: ou um filme bem despretensioso ou um dramalhão. Pra mim, não foi nenhum dos dois. :(

    ResponderExcluir
  3. eu pelo contrário, gostei. n dá pra esperar muito, mas é bonzinho até.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Anônimo. Acho que o meu problema foi esse: esperei muito e não tive minhas expectativas atendidas.

    ResponderExcluir
  5. Poxa, esse teste foi um banho de água fria. Tava doida pra ver, mas agora já vou com o pé atrás. :(

    ResponderExcluir
  6. Bem, teve gente que gostou, como o Anônimo. Assista sem expectativas, talvez vc goste. :D

    ResponderExcluir
  7. Confio na opinião do Testei. Não fiquei nem um pouco curiosa para ver o filme.

    ResponderExcluir
  8. Denize, assista só se vc não tiver nada melhor para fazer. Vc pode gostar e se surpreender, mas tenho minhas dúvidas.

    ResponderExcluir