2 de outubro de 2012

Conserte

Eu detesto ser mal atendida! Já falei isso aqui, né? Mas, algumas vezes, por falta de opção, nos colocamos repetidas vezes em situações irritantes. No Shopping Nova América, no Rio de Janeiro, tem uma loja chamada Conserte, especializada em reparos de roupas, como bainhas, troca de zípers, elásticos, botões, ajustes. 

Eu não "perderia" meu tempo escrevendo se a situação tivesse acontecido apenas uma ou duas vezes, pois entendo que todo profissional tem dias bons e ruins. Dias em que está com dor de cabeça, dias em que está cansado, com calor, com frio. Mas, eu já fui a esta loja uma cinco vezes (TODAS POR FALTA DE OPÇÃO! Nas redondezas, nenhuma outra loja faz reparos em 2, 3 horas) e em todas o atendimento é péssimo. As funcionárias não respondem a um simples "bom dia", parecem que estão sempre com raiva de estarem trabalhando; se perguntamos alguma coisa referente ao conserto, a resposta é sempre dada sem olhar para o rosto do cliente, quase entre os dentes; sempre que chego na loja, tenho a sensação de que estou "atrapalhando". 

Sabe o que é mais curioso? O atendimento é sempre ruim com quase todas as funcionárias (apenas uma, magra com um black, se salva, pois é capaz de olhar para o cliente e responder de forma clara e em tom de voz razoável). Sobre o conserto?  Fica realmente bem feito, mas isso não compensa nem justifica mal humor, falta de educação e rispidez. 

Testado por Mariana

6 comentários:

  1. Eu já fui há muito tempo numa loja Conserte. Achei as costureiras grosseiras, cada pergunta que a gente fazia, elas olhavam com uma cara de desdém do tipo "como você é burra, por que tá me perguntando isso?". Além dos preços serem lá muito amigos naquela época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É assim mesmo, Rafaela. Eu fiz duas perguntas básicas e as duas respostas foram precedidas de um suspiro do tipo "Ai, meu Deus. Que pergunta!"

      Excluir
  2. Eu também uso bastante o serviço deles na loja do Norte Shopping e as roupas são sempre bem cuidadas. Por duas vezes, no entanto, passei por isso que você comentou, Rafa, de ter a impressão que as atendentes menosprezavam meu pedido. E o que reparei, foi que já pegaram a calça que levei pra consertar e nem olharam pra mim.

    Fazer o quê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, até meu marido comentou: "Nossa, toda pergunta que você fazia, parecia que ela estava com preguiça de responder". Olha o nível!

      Excluir
  3. Nunca passei por esse problema pelo simples fato de achar o conserto muito caro. Já aconteceu do preço ser mais caro do que a peça a ser consertada. Arrumei uma costureira que faz o serviço mais barato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Denize! Paguei R$30 para apertar uma calça que custou R$80. Não vale, mas eu estava mesmo sem opção.

      Excluir