20 de abril de 2013

Testei pra Você Entrevista - Fisioterapia

Mais um Testei pra Você Entrevista. Hoje é dia de falarmos sobre nossos pés e coluna. Os cuidados com eles são fundamentais! Por isso, o fisioterapeuta Carlos Neiva responde a algumas de nossas dúvidas. Dúvidas? Foi uma aula! Adoramos!! 

O Carlos é fisioterapeuta dos bons e atende em domicílio aqui no Rio de Janeiro. Está precisando de um profissional assim? Seguem contatos: 

Telefone: (21) 9752-2797 

TPVE: Protetores para o calcanhar, palmilhas em gel para a planta do pé e similares realmente ajudam? Podem ser usados sem problema? 

Carlos: Tanto o protetor de calcanhar quanto a palmilha em gel são ótimos aliados dos pés, quando o assunto é proteção e prevenção de alguns males que acometem essa região do nosso corpo. O protetor de calcanhar e a palmilha, por serem produzidos em gel, que é um material macio e confortável, proporcionam aos pés o conforto e a estabilidade necessários para amenizar o incômodo de algum problema já existente, ou então, para prevenir o surgimento dele. Exemplos de problemas já existentes: pé plano (onde não há aquela curvatura na sola dos pés); joanete (é uma deformidade que acomete o dedão do pé, mais especificamente a articulação metatarso falangiana); esporão de calcâneo; tendinite, entre outros problemas. 

Portanto, o uso desses produtos, em pessoas que não apresentam nenhum dos problemas aqui mencionados, não trará nenhum problema. Tendo em vista que seu uso servirá apenas como prevenção e para promover um conforto a mais para os pés. Lembrando que, para aquelas pessoas que praticam esporte de impacto, como corrida, caminhada ou trilha, o uso do protetor de calcanhar ou da palmilha será de grande importância. Pois, caso o calçado não absorva esse impacto dos pés com o solo, a coluna é que irá sofrer as consequências desses impactos. Sobrecarregando os discos intervertebrais com esses constantes impactos. E para quem possui uma predisposição para desenvolver uma hérnia de disco, esses esportes são contraindicados, mesmo com o uso de protetor de calcanhar ou palmilha. 

Mas para aquelas pessoas que já apresentam algum problema nos pés, é recomendável que procure um médico ortopedista antes. Para que, dependendo do problema, possa ser feito exames específicos, para poder saber qual a melhor conduta a ser tomada. O que muitas das vezes, dependendo da gravidade do problema que a pessoa apresente, seja necessário até uma intervenção cirúrgica. Porém, caso uma cirurgia não seja necessária, o médico poderá encaminhar a pessoa para a fisioterapia. Onde a pessoa já possa iniciar o uso do protetor de calcanhar ou da palmilha. 

TPVE: É verdade que o salto alto só traz prejuízo ou é possível usá-lo sem problemas? 

Carlos: É verdade, sim, que o salto alto traz prejuízo. Pois, o salto alto faz com que o peso do corpo vá para frente, o que causa uma sobrecarga na ponta dos pés. E isso predispõe a mulher a desenvolver problemas como: calos na sola dos pés (mais na parte da frente) e dedos (se o sapato for fechado na frente); joanete; tendinite (devido a contração prolongada dos músculos da panturrilha); problemas na coluna (devido ao fato da mulher adotar uma postura diferente da normal, por causa do salto alto) e dores nas articulações dos tornozelos, joelhos e quadris. 

TPVE: Qual a maior recomendação na hora de comprar um calçado feminino? 

Carlos: No caso do salto alto, a recomendação é que o mesmo não seja maior que três centímetros; que o calçado não seja tão apertado, que cause dores nos pés. Ou que não seja largo, para que não cause uma instabilidade na hora de caminhar. 

No geral, a recomendação é que o calçado seja do tamanho correspondente ao número do pé da pessoa. Nem um número a mais ou a menos. E que seja de material macio, e que não abafe os pés, para não predispor ao surgimento de frieiras entre os dedos (isso no caso de calçados fechados) e que o solado não seja de material escorregadio. 

Seguindo essas recomendações, além de poder usar o calçado com total conforto, não haverá qualquer risco de surgirem qualquer tipo de lesão. 

TPVE: E masculino? 

Carlos: Em relação ao calçado masculino, as recomendações são as mesmas para as mulheres. Exceto na questão do salto alto. Entretanto, vale lembrar que, tanto para homens quanto para mulheres, o uso de palmilha ou protetor de calcanhar, com o objetivo de proporcionar um maior conforto, é sempre válido. Lembrando que, para isso, é necessário que o calçado seja do tamanho ideal, para que, ao usar a palmilha (que ocupa um espaço maior dentro do calçado) o calçado não fique apertado. O que irá ocasionar um desconforto, caso isso aconteça. 

TPVE: Fale um pouco sobre a diferença entre RPG e Pilates e entre massoterapia e quiropraxia. 

Carlos: RPG é um método fisioterapêutico de correção postural global do paciente. Para isso, utilizam-se as posturas de alongamento, com a finalidade de encontrar a causa da lesão, promovendo o relaxamento das cadeias musculares encurtadas, o desbloqueio respiratório e o reequilíbrio do tônus postural. Ou seja, é uma técnica que utiliza exercícios posturais, objetivando uma harmonia entre todas as cadeias musculares. E dessa forma, promovendo o equilíbrio postural. O que irá proporcionar um bem estar imenso ao paciente, eliminando assim todas as dores provenientes da má postura. 

Já o Pilates é um método de alongamento e exercício físico que se utiliza o peso do próprio corpo na sua execução, com o objetivo de reeducar o movimento corporal. Promovendo assim, o aumento da flexibilidade e força muscular, melhorar a respiração e corrigir a postura. 

Como vocês podem perceber, a diferença entre RPG e Pilates só existe na forma em que são executados. Pois, através das técnicas da RPG, o paciente trabalha as cadeias musculares através de exercícios posturais. Já no Pilates, são executados exercícios mais dinâmicos, exigindo do aluno, a cada nova fase, maior concentração, resistência e força. 

Por conta disso, muitas pessoas que são tratadas por profissionais de RPG, quase sempre complementam o tratamento com o Pilates. 

Massoterapia é a aplicação de técnicas de massagem com finalidade terapêutica, antiestresse, relaxamento, estética e esportiva. A massoterapia utiliza-se da manipulação manual dos tecidos moles do corpo, sendo que alguns massoterapeutas também podem realizar movimentos nas articulações do cliente e fazer aplicações de calor, frio e vibrações. 

A Quiropraxia é uma especialidade da fisioterapia*, que trata e previne doenças dos sistemas nervoso, muscular e esquelético por meio de terapia manual, principalmente manipulação das articulações. O quiropraxista dedica-se à prevenção, ao diagnóstico e ao tratamento das alterações de má posição articular, que interferem na função normal de músculos e nervos. Ele trata, por exemplo, de hérnia de disco, alteração postural e dor nas costas ou de cabeça. Para isso, faz uso de vários métodos terapêuticos, como terapia manual, exercícios físicos, reeducação postural e orientação nutricional. 

Diante disso, a diferença que há entre a massoterapia e a quiropraxia é a forma como são executadas. Tendo em vista que, na massoterapia o profissional atua no sentido de promover um relaxamento muscular, aliviando dores e estresse, através de técnicas de massagens e alguns recursos da eletroterapia e manipulações articulares. Já na quiropraxia, o profissional atua de uma forma mais intensa, tratando de problemas articulares, musculares, tendões, nervos e outras estruturas. 

* - (RESOLUÇÃO Nº 220, DE 23 DE MAIO DE 2001, Publicada no D.O U. Nº 108 de 05/06/01 Seção I, página 46) 

Foi ou não uma aula? Desde problemas para os pés que sapatos podem causar até as funções de várias técnicas. 

Obrigada, Carlos, por essa contribuição tão bacana. :D 

Postado por Testei pra Você

4 comentários:

  1. Nossa! Que entrevista bacana. Sinceramente, não sabia o que era Quiropraxia. Acho que estou precisando de um pouco de cada. Rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também cheguei a conclusão que preciso de tudo! rs

      Excluir
  2. Muito esclarecedora a entrevista!

    ResponderExcluir