15 de junho de 2013

Filme Reino Escondido 3D – Testadora Convidada

A seção Testador Convidado está bem movimentada. Hoje, quem manda uma resenha completíssima é a Camila, que já assistiu ao filme Reino Escondido 3D. Além disso, a Mila é superantenada em relação a lançamentos de filmes, livros e séries é colunista no blog literário Entre Livros.


Desde o primeiro momento que vi o trailer deste filme, já fiquei imediatamente encantada por seus efeitos visuais, a personalidade dos personagens e a exuberância da floresta. Reino Escondido (Epic) é uma animação da produtora Blue Sky, a mesma criadora de “A Era do Gelo” (2002) e “Robôs” (2005).

Reino escondido fala sobre as aventuras de Maria Catarina, que depois do falecimento de sua mãe, vai morar com o seu pai no meio de uma floresta. O pai dela vive em função da sua crença em acreditar que naquela floresta exista uma sociedade de seres pequeninos invisíveis a olhos humanos. Essa fixação foi o motivo de ele ter abandonado a esposa e sua própria vida. Por não acreditar em nada disso e achar que seu pai endoidou de vez, ela decide que está na hora de viver a própria vida sozinha. Mas, neste momento, um encontro inesperado acontece no meio da floresta que têm o poder de mudar as crenças desta garota. MC acaba embarcando numa fantástica jornada, se vê dentro daquele mundo incrível, tendo que ajudar os homens folhas (o bem) a vencerem Mandrake e os seguidores (o mal) e assim salvar a floresta e poder voltar para a casa.

Reino Escondido não fica somente nos incríveis efeitos visuais e o seu belo 3D, que literalmente te transporta para aquele mundo encantado na carona de um beija-flor. O filme tem uma proposta interessante: ressaltar aquilo que foi esquecido, como a união, o companheirismo, a amizade e o valor da família. Tal como também a sua função ecológica, salvar o meio ambiente, neste caso a floresta é salva pelo Homem (o pisador). Na realidade é o homem que destrói a natureza, todo mundo sabe disso, mas o filme planta a esperança que o ser humano pode também salvar o meio ambiente da total destruição.

Murilo Benício (o eterno Tufão, de Avenida Brasil) caiu como luva para interpretar o sem noção do Professor Bumba, o pai da protagonista. Ele possui o jeito lerdo e desengonçado do personagem. Todos os demais personagens, como a Rainha Tara, as lesmas, os guerreiros Romi e Nod são tão espontâneos e de fácil identificação. É impossível não se encantar com esses seres pequeninos e ri bastante do Murilo Benício, ups, do pai da MC.

É claro que tinha que ter um romance na história, isso dá para senti já no ar. Eu pelo menos senti a atração acontecer no primeiro momento que MC encontra o desordeiro Nod. O entrosamento entre eles faz com que percebemos a evolução dos personagens culminando no desfecho da história. A película tem seu jeito ingênuo, mas é nesse ponto e com a contribuição de personagens tão carismáticos que ele cumpre o seu objetivo de encantar crianças e proporcionar alguns momentos de descontração para os adultos.
“Só porque você não vê alguma coisa, não significa que não está lá”

(Reino Escondido)
XOXO

Mia Duarte – Hora da Colunista.

Obs.: Epic estreou dia 24 nos Estados Unidos.


Camila, obrigada pela resenha! Dá vontade de assistir só por causa da riqueza de detalhes com que você conta. :D

Testou algum produto ou serviço, viu um filme, peça ou show e quer compartilhar com a gente? É só mandar texto e foto para testeipravoce@gmail.com

Postado por Rafaela

0 comentários:

Postar um comentário