14 de junho de 2013

Livro Desejo à meia-noite – Lisa Kleypas

Recebemos da editora Arqueiro o livro Desejo à meia-noite, de Lisa Kleypas. Conhecemos a história de Amelia Hathaway, vinda de uma família plebeia que fica órfã de pais, precisa cuidar de suas três irmãs mais novas e seu irmão mais velho, que não consegue cuidar de si próprio. 

A sinopse oficial define muito bem a história: 
“Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos – uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. 
Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. 
Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos. 
Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. 
E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos. 
Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento?” 
Apesar de um toque de Jane Austen, Desejo à meia-noite retrata um romance mais apimentado, com cenas mais eróticas do que Orgulho e Preconceito, por exemplo. Enquanto na obra de Austen, as demonstrações de afeto são bem contidas, o “embate” é mais ideológico, o livro de Kleypas é mais carnal, com a atração física mais evidente, chegando “às vias de fato” sem tanto pudor. 

Óbvio que não dá pra fazer grandes comparações entre as autoras, pois parece que elas tinham objetivos um pouco diferentes ao escrever seus textos. Mas é interessante a abordagem das questões e convicções morais, o papel da mulher na sociedade e como tudo isso afeta os relacionamentos. 

Jogando minha filosofia de botequim de lado, gostei do livro por ser uma leitura leve e rápida; tanto que li em dois dias. Transportar-se para uma realidade distante da gente e desanuviar um pouco nossas ideias também não é função do livro? 

O livro é o primeiro de uma série de cinco, com um personagem protagonista diferente em cada. O próximo é Sedução ao Amanhecer, que já quero ler. 

Testado por Rafaela

6 comentários:

  1. Gosto muito de ler romance, não sou chegada a leitura que me deixa tensa. Pelo resumo do Testei, fiquei interessada em comprar o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, esse livro é uma boa pedida pra você, Denize. De tenso, ele não tem nada. rs

      Excluir
  2. Adorei a resenha!!!!!!!!!!!!!!!
    Eu quero!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li em dois dias, Patricia, pra você ver como a leitura é leve, tranquila. Não tem reviravoltas, grandes suspenses. Você sabe exatamente como vai acabar, mas, mesmo assim, é agradável de ler.

      Excluir
  3. Eles já lançaram o segundo, "Sedução ao Amanhecer", e eu nem li o primeiro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tô querendo ler esse segundo. rs

      Excluir