12 de maio de 2014

Livro Os Assassinos do cartão-postal – James Patterson

Recebemos da editora Arqueiro (com direito a envelope e cartão-postal) mais um best-seller de James Patterson, Os assassinos do cartão-postal.

Nessa história, casais jovens são misteriosamente assassinados em várias partes do mundo, sem qualquer rastro ou identificação que possam levar aos assassinos, que mandam cartão-postal de pontos turísticos para um jornalista em destaque na cidade à época do crime.

O detetive americano Jacob Kanon tem um motivo especial para capturar os assassinos: sua filha e seu genro foram vítimas. Sua dedicação/obsessão faz com que tenha mais pistas do que a própria polícia (pois ele está atrás do caso por conta própria). Quando a jornalista Dessie Larsson, em Estocolmo, recebe um cartão-postal, Jacob percebe a oportunidade para apanhar os assassinos.

O livro é cheio de detalhes que precisam ser bem observados para acompanhar as pistas que os personagens vão descobrindo. Fatos, erros à primeira vista inexistentes começam a desenhar uma trilha que leva para a identificação dos criminosos Sylvia e Mac Rudolph.



Com carinhas de anjos inocentes, a dupla Rudolph consegue enganar polícia, imprensa, advogados. Ainda se beneficia de uma polícia inocente, tornando-os vítimas do sistema.

James Patterson, como sempre, consegue prender a atenção do leitor. O livro é fino (304 páginas) e com uma leitura bem ágil, com detalhes para a resolução dos crimes ao longo do texto. Assim, não tem “barriga”, quando o texto vai se arrastando, não tem enrolação. Ele te prende do início ao fim.

Há um leve romance para dar um toque de leveza ao texto, mas não é, em momento algum, o foco principal do livro.

A capacidade dos criminosos surpreende, mas muito se deve por uma polícia que precisa/quer resolver tudo rápido para dar uma resposta à sociedade (o que acontece muito na vida real). Assim, tudo é feito às pressas, os casos são resolvidos aos tropeços, deixando detalhes importantíssimos de lado.

Enfim, James Patterson continua seu caminho rumo ao topo dos escritores de romance policial.

Testado por Rafaela

2 comentários:

  1. Já sei que vou gostar do livro e que a culpa vai ser da narrativa. Me apaixonei pelo autor na trilogia Bruxos e Bruxas (que deve virar tetralogia) e o que mais me encantou foi a agilidade da história, a maneira como ele pega a gente de jeito e libera a ansiedade dos problemáticos que nem eu. Mal posso esperar pra começar a leitura!

    ResponderExcluir
  2. Também gostei da narrativa. Quero ler.

    ResponderExcluir