15 de setembro de 2014

Filme Se puder... Dirija!

Estava de bobeira em casa quando vi o comercial do filme Se puder... Dirija! e resolvi assistir.

João (Luiz Fernando Guimarães) é um pai ausente de Quinho (filho da personagem Lavínia Vlasak). Para tentar compensar, ele promete levar o menino a uma gincana no colégio. Mas ele se esquece de que precisa trabalhar – ele é manobrista em um estacionamento. Como precisa buscar o filho na casa da ex, resolve pegar o carro de uma cliente (médica interpretada pela Barbara Paz), incentivado pelo seu colega de trabalho (Leandro Hassum).

O trajeto até a casa da ex e de lá até a escola envolve situações que deveriam ser hilárias. Ele é assaltado, precisa ajudar um guarda municipal prestes a ser pai, atropela o Reynaldo Gianecchini e por aí vai. 

A maioria das situações é forçadíssima, com piadas sem graças e atores sem inspiração. As melhores cenas, pra mim, são as que menos provocam o riso e são as que Guimarães divide com Hassum. Pena que essas cenas são poucas e eles só contracenam no início do filme. Acho que se explorassem mais os dois juntos, fazendo uma dupla ao longo do filme, desse mais certo.

Ao final, claro, recebemos aquele dose básica de um draminha, com a redenção do pai etc. e tal.

Ainda bem que não paguei ingresso para ver esse Se puder... Dirija!.

Esse filme é propagandeado como o primeiro brasileiro lançado também em 3D que conta só com atores. Como não vi em 3D (só descobri que tinha quando fui procurar na internet sobre), não sei qual a diferença, os efeitos...

Testado por Rafaela

2 comentários:

  1. Não vi o filme, adoro comédia. O cinema brasileiro tem produzido boas comédias, mas essa pela
    opinião do Testei, não empolgou, apesar dos bons atores.

    ResponderExcluir