11 de fevereiro de 2015

Livro Paixão ao entardecer – Lisa Kleypas

Sinopse

Mesmo sendo uma família nada tradicional, quase todos os irmãos Hathaways se casaram, até mesmo Leo, que era o mais avesso a essa ideia. Mas para a caçula Beatrix, parece não haver mais esperança.

Dona de um espírito livre, apaixonada por animais e pela natureza, Beatrix se sente muito mais à vontade ao ar livre do que em salões de baile. E, embora já tenha frequentado as temporadas londrinas e até feito algum sucesso entre os rapazes, nunca foi seriamente cortejada, tampouco se encantou por nenhum deles.

Mas tudo isso pode mudar quando ela se oferece para ajudar uma amiga.

A superficial Prudence recebe uma carta de seu pretendente, o capitão Christopher Phelan, que está na frente de batalha. Mas parece que a guerra teve um forte efeito sobre ele, e seu espírito, antes muito vivaz, se tornou bastante denso e sombrio.

Prudence não tem a menor intenção de responder, mas Beatrix acha que ele merece uma palavra de apoio – mesmo depois de tê-la chamado de estranha e dito que a jovem é mais adequada aos estábulos do que aos salões. Então começa a escrever para ele e assina com o nome da amiga. Beatrix só não imaginava o poder que as palavras trocadas teriam sobre eles.

De volta como um aclamado herói de guerra, Phelan está determinado a se casar com a mulher que ama. Mas antes disso vai ter que descobrir quem ela é.


Recebemos da editora Arqueiro o último da série dos irmãos Hathaways, Paixão ao entardecer, que conta a história de Beatrix, a caçula da família. O livro segue mais ou menos o roteiro dos outros: paixão um pouco complicada, alguns empecilhos, mocinha inteligente e perspicaz, muito romance. Enfim, todos os ingredientes que a gente espera da série da autora Lisa Kleypas.

É mais do mesmo? Você já sabe o final? Sim, mas isso não desmerece nem um pouco o livro. Bem escrito, com texto ágil, sem enrolação, Paixão ao entardecer é bem enxuto e entrega um romance leve com poucas reviravoltas (há as reviravoltas principais, mas você espera por elas).

Achei esse volume mais leve do que os anteriores. Os outros tinham temas mais pesados, mais sofridos, que davam certa angústia. Acho que por ser a caçula e mais ingênua e com alma pura da família, a autora teve cuidado de dar a Beatrix um romance mais leve, sem tanto drama e dando a ela um dia a dia mais leve.

A edição da Arqueiro está ótima. Letras em um tamanho bom para ler, folhas grossinhas que não deixam vazar o texto do outro lado. A capa segue a linha da série: mulheres com vestidos de cores fortes, mostrando a personalidade da família.

Testado por Rafaela

3 comentários:

  1. Adorei o tema, é típico de leitura que gosto, pois não tem excesso de sofrimento, drama etc. Vou ler, apesar de não ter lido os anteriores.

    ResponderExcluir
  2. Apesar de não ser um gênero que curto muito, já falei que pretendo dar uma chance aos livros de romance histórico da Arqueiro. Ou Lisa, ou Julia. Uma das duas irei ler.

    Lucas - Carpe Liber
    http://livrosecontos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê, sim, Lucas. As duas têm um estilo parecido.

      Excluir