27 de abril de 2017

Colunista: Filme Power Rangers



Sinopse: A jornada de cinco adolescentes que devem buscar algo extraordinário quando eles tomam consciência que a sua pequena cidade Angel Grove - e o mundo - estão à beira de sofrer um ataque alienígena. Escolhidos pelo destino, eles irão descobrir que são os únicos que poderão salvar o planeta. Mas para isso, eles devem superar seus problemas pessoais e juntarem sua forças como os Power Rangers, antes que seja tarde demais. (Via AdoroCinema)

Aproveitando a onda de recordar é viver, agora chegou a vez de ser adaptado para o cinema POWER RANGERS. Ou melhor, o REBOOT de Power Rangers. Que marcou a minha geração totalmente nostálgica. Eu mesma, quase não lembro muito da história (#prontofalei), mas a música da abertura, essa não tinha como ter esquecido. E quando ela tocou no decorrer de uma das batalhas, foi como voltar a minha infância com um belo sorriso no rosto, onde a maior preocupação era se eu ia ficar de recuperação em matemática no colégio.

Foi com essa sensação de saudosismo que assisti ao filme. Algumas mudanças foram feitas, porém nada que atrapalhasse os fãs antigos e muito menos prejudicasse o entendimentos dos novos, que somente agora estão conhecendo a história. O elenco foi bem escolhido e os personagens: Jason (Power rangers vermelho), Kimberly (Power rangers rosa), Billy (Power rangers azul), Jack (Power rangers negro) e Trini (Power rangers amarelo) foram tendo suas personalidades mostradas de maneira interessante. Claro, são quatro adolescentes passando por problemas típicos: Jason (Dacre Montgomery) é o jogador prodígio que literalmente “jogou” fora sua carreira esportiva; Kimberly (Naomi Scott) poderia entrar naquele patamar da garota popular; Billy (RJ Cyler) por ser autista sofre bulling; Jake (Ludi Lin) o rebelde e Trini (Becky G.) a adolescente que esta naquela fase de descobrir quem ela realmente é. Personagens fáceis de criar empatia com o público e assim torná-los mais humanos e menos heróis. 


Por ser um início de franquia, algumas coisas ficaram fora do lugar e nem tão aprofundadas assim, mas nada que possa comprometer a continuação. A vilã Rita, interpretada Elisabeth Banks, de uma maneira espalhafatosa e engraçada, consegue convencer com sua antagonista, um “heroína” passou do status bom para o lado mal da força.

No filme conta ainda com a participação dos atores que fizeram Kimberly e Jason na franquia original.

Power Rangers não compromete a saga original – que pode ser vista no NETFLIX – que consegue entreter de uma maneira que não sente o tempo passar. 

Xoxo

Mia Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário